Resmungo confuso e gutural de um homem que leu demais - Carl Solomon

                              Kafca,
                              Strindberg,
                              Jack London,
                              Gogol,
                              Mike Gold,
                              Edward Everett Hale,
                              Heywood Broun,
                              Westbrook Pegler,
                              Jacques Vaché,
                              Henri Miler,
                              Stalin,
                              Mao Tsé-Tung,
                              Hitler,
                              Mussolini,
                              William Buckley,
                              Lawrence Ferlinghetti,
                              Estes e muitos outros

             E o que eu ganhei em termos de sabedoria universal?
             Nada.

             A literatura não tem mais a oferecer do que os rostos sem expressão que a gente encontra no metrô... é óbvio que é só um meio de matar o tempo, um assunto para conversa. Estou entregando o jogo?
             Mas não se pode dizer isso de qualquer coisa... o beisebol, tantas bolas rebatidas? Onde está o que eu procuro? E eu estou procurando alguma coisa?
            Digamos: eu leio para manter minhas mãos ocupadas... para não me masturbar.
            Sou possuído pela linguagem e não tenho nada a dizer.
            Porque não colecionar selos, piadas sujas ou trocadilhos?
            Beber intermináveis chicaras de café ou entrar em um concurso de comedores de tortas é quase a mesma coisa.
            Eu estou um pouco desapontado com Ferlinghetti. O verdadeiro Dada deveria ter atravessado a Rússia no lombo de um cavalo.



3 comentários:

  1. Guilherme Paiffer Pelodan19 de outubro de 2011 08:47

    Haha, engraçado a intimidade que certos poetas adquirem com as palavras a ponto de rebaixa-las ou tirarem-lhes o valor. A maneira como Carl Solomon enxerga a literartura, não passa de uma maneira como enxerga a si mesmo, sem valor, louco, sem sentido, a maneira como enxerga a vida em si, e sendo a literatura um objeto de seu estudo ele a utiliza para expressar esse grande desdem por tudo o que é vivo. Um poeta, que sem duvida, não se deu o devido valor...

    ResponderExcluir
  2. o Carl Solomon diz que só foi feliz como membro do partido comunista...

    ResponderExcluir
  3. é difícil entender um ponto de vista que não é o nosso, é difícil deixar de lado a vaidade ferida ainda mais quando o ponto de vista vai de encontro com aquilo que consideramos belo, sublime... acima dos pobres espíritos mundanos!!!
    "morte as obras de arte". Antonin Artaud.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...