Notas sobre um romantismo perdido - Oscar Medeiros

Anagnosia


Sonho riquezas e tesouros,
Sonho uma morada onde eu veja
Sob a máscara da tristeza, sobre o muro
                                                             do finito.

          Quis depois do tempo achar vida e céu
                                                                 Em mim
                                     Vejo entre fora e dentro.
                      Nada parece ser tudo o que vejo!

                       Eu bom, eu mau, eu som...
                               Em mim eu mudo,
                        Tonto esbarro nos mundos.

Que vem a ser esta seresta dos sentidos
                                                               (onde vivo?)
Falem do silêncio que eu não conheço!
Falem do silêncio que eu não conheço!





*Video resultante da Oficina de Processos Audiovisuais Cocriativos
Sobre Poema SURSUM CORDA - SER ESTA MINAS de 
Oscar Medeiros e composição de Pedro Lago





Ampulheta

Estou deprimido, cansado...
Encontrei um pentelho Branco
No saco.

O ver, sentir assim o tempo acorda   
O ser humano
Exato.   
 



**Poesias tiradas do fanzine A Poesia Crônica organizado por Pedro Lago

                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...